Existe idade ideal? O que os bebês fazem lá? Tire agora todas suas dúvidas!

 

A chegada de um bebê na família é um momento mágico. Tudo se transforma, literalmente. O tempo passa a ter uma contagem cadenciada por intervalos entre mamadas, sonecas, trocas de fraldas, entre tantos outros cuidados que um recém-nascido exige.

Independente da profissão dos pais, o bebê transforma o jeito de como enxergamos o mundo, como nos relacionamos com as pessoas, o trabalho e nos faz refletir sobre o tipo de família que desejamos formar para o desenvolvimento dessa criança.

embora sabemos que nem todas as famílias tem a oportunidade de dedicar-se somente aos cuidados do filho(a) e ai surge a grande dúvida: qual a melhor escolha a fazer em busca de ajuda? O berçário? Uma babá? Delegar aos avós os cuidados diários?

Vida Mundana

No mundo real, os pais, geralmente, são profissionais em que precisam conciliar carreiras e família. Na maioria das vezes, mães e pais trabalham e algumas mães precisam retornar a rotina profissional mesmo antes do término do período de licença-maternidade e juntos precisam avaliar as opções que melhor atendem seus valores familiares e tomar a decisão: à quem compartilhar os cuidados e educação dos filhos?

O momento de colocar uma criança na escola é muito particular. Não existe uma idade padrão para que os pequenos sejam matriculados em uma escola Tudo vai depender da opção e as possibilidades dos pais.

Nesta busca pela escola ideal é importante que o berçário seja um local confiável, seguro, limpo, estimulante, sobretudo, com profissionais que saibam lidar afetuosamente com os bebês e respeitem suas individualidades de acordo com cada etapa do desenvolvimento.

O berçário da Bosque das Letras, por exemplo, que recebe bebês a partir dos 4 meses de idade até quando eles conseguem andar com firmeza (oferecendo continuação até o término da educação infantil), a instituição possui uma sala exclusiva para a exploração dos pequenos com uma equipe preparada para realizar atividades de estímulo sensório-motoras.

“Como nossa escola foi planejada para ser escola, ela possibilita a integração dos espaços como um facilitador da aprendizagem, e o berçário é um espaço em destaque com sala exclusiva preparada para a exploração por meio de propostas sensório-motoras, solarium, lactário, sala de sono e fraldário de uso privativo dos bebês.”, comenta Juliana Scarcello Conte, psicóloga e educadora, proprietária da Bosque das Letras, que é mãe de quatro filhos.

Pequenos aprendizes

Diferente das gerações mais antigas que tratavam os bebês como seres invisíveis, inúmeras pesquisas científicas já comprovaram que eles são “pequenas esponjas” que absorvem todo conhecimento através das experiências mais simplistas como manusear um objeto onde são capazes de perceber o formato, textura, o tipo de sensação que ele lhe causa (estranheza, alegria, curiosidade etc), como descreve a autora Tacyana Karla do livro Os saberes e as falas dos bebês e suas professoras.

Ainda hoje, há uma crença equivocada de que no berçário os bebes serão apenas cuidados e atendidos em suas necessidades fisiológicas de alimentação e higiene, enquanto na verdade, além desses cuidados “Contemplamos o desenvolvimento cognitivo, afetivo e social das crianças. Acreditamos que educar e cuidar são aspectos indissociáveis, pois os momentos de cuidados também são momentos de aprendizagem”, acrescenta Juliana.

A escola Bosque das Letras segue como referência neste processo rico e complexo da aprendizagem dos bebês os estudos e pesquisas da pediatra austríaca Emmi Pikler (1902-1984), que liderou um trabalho no centro de órfãos e crianças abandonadas – Instituto Lóczy – numa experiência pautada no:

  • valor da autonomia através do desenvolvimento livre da motricidade;
  • o valor da relação afetiva privilegiada através dos cuidados fisiológicos;
  • o valor da estabilidade e continuidade dos cuidados ao fazer a criança consciente de si mesma e seu entorno através do respeito e promoção das suas iniciativas.

Nutrição para bebês

A questão alimentar geralmente é um ponto que deixam os pais com dúvidas na hora de pensar colocar a criança no berçário. Atualmente, é recomendado a continuidade ao aleitamento materno exclusivo até o sexto mês de vida de acordo com a UNICEF. Assim, pelo menos até o 6º mês, seria interessante a mãe ficar em casa com seu bebê.

Na Bosque, a introdução alimentar para bebês é feita de maneira cuidadosa, respeitando cada fase de desenvolvimento e orientações do pediatra de cada criança. “Lembrando que nós incentivamos e orientamos a continuidade do aleitamento materno, mesmo com a mãe retornando ao trabalho e o bebê ficando diariamente no berçário”, diz Juliana. Além de respeitar a orientação da OMS de uma alimentação “zero açúcar” até os 2 anos de idade.

Vantagens e desvantagens

A separação da mãe e/ou pai ao deixar o bebê no berçário, mesmo que seja por apenas um curto período, é para muitas famílias, a maior desvantagem em optar por uma escola nesta fase do desenvolvimento da criança, já que nem sempre podem escolher ou abrir mão das atividades profissionais para ficar o dia todo com o filho. Por isso os pais precisam estar seguros do local escolhido para confiar o que há de mais precioso, seus filhos!

Na Bosque das Letras, um diferencial que minimiza esse sentimento doloroso da separação é o acolhimento que recebem no processo de adaptação que a escola realiza, pois respeitam os bebês e as famílias de acordo com suas necessidades. No primeiro dia, o bebê permanece no berçário apenas 1 ou 2 horas com a presença do pai ou mãe em tempo integral. Já no segundo dia, os pais podem permanecer ainda dentro do berçário, mas vão se afastando aos poucos. Esse processo dura, em média, uma semana a 15 dias, tudo depende da família, pois como falamos, respeitamos a individualidade de cada criança. Acreditamos que com esse processo, a família passa a ter mais confiança na escola, fazendo com que o bebê sinta isso também e passe a sentir-se pertencente deste espaço. Também utilizamos o aplicativo ClassApp para enviar aos pais, informações e fotos da rotina do bebê diariamente.

Por outro lado, são muitas vantagens em colocar uma criança no berçário nesta etapa de vida:

  • Desenvolvimento dos sentidos e melhor sociabilização através das atividades adequadas à faixa etária e o contato com outros bebês;
  • Melhora a rotina com horários para comer, brincar e dormir;
  • Educação continuada para berçários inseridos dentro de escolas, assim o bebê consegue fazer uma transição natural para Educação Infantil.

E aí?

A verdade é que não existe a decisão certa ou errada de qual é o melhor momento para colocar um bebê na escola, mas podemos afirmar que a escolha dos pais sempre vai ser a melhor quando forem tomadas de acordo com seus sentimentos de segurança e tranquilidade. O início da vida escolar é um importante passo na vida das crianças e significa novas oportunidades para seu desenvolvimento cognitivo, cultural, social e emocional, a ampliação de repertórios, o autoconhecimento, o início da construção da identidade e autonomia, entre tantas outras competências e habilidades.

Saiba mais:

Selecionamos algumas referências para quem quiser se aprofundar no assunto:

Leave a reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *